quarta-feira, 18 de junho de 2008

Manifestantes antitaturânicos fecham Avenida





O colega Alan Celso, do Curso de Comunicação Social do Cesmac, flagrou esta manhã o início da manifestação que o MSCC promoveu na Av. Durval de Goes Monteiro, imediações do Parque das Flores. O protesto tem como segmento social mais mobilizado os sem terra e cobra uma punição mais efetiva contra os deputados envolvidos em crimes pela Operação Taturana. Veja as fotos do Alan Celso.

2 comentários:

Alan C.B.S. disse...

Logo após fecharem esse lado da Av. Fernandes Lima fecharam também o outro lado (via centro).

O protesto durou cerca de uma hora e meia.

Abraços,

Alan Celso.

Carlos Holanda disse...

É lamentável isso. Fecham ruas, rodovias, etc... Cadê o nosso direito constitucional de ir e vir? Esse mesmo direito que, outro dia, o MST bradava, em carro de som, aos quatro ventos, no RS, porque fazendeiros, armados até os dentes, impediam a passagem deles. Eles (MST) podem fechar estradas e impedir o livre acesso de trabalhadores que usam as ruas e estradas, mas quando são privados do mesmo direito, acham ruim. Taxistas foram escorraçados, outro dia, pela PM de Alagoas, porque fecharam a rodovia AL 101 Sul. Sem-terras são cidadãos privilegiados em relação aos outros brasileiros? Qual o objetivo disso? Terra, não é. Porque quando ganham o seu quinhão, a maioria, vende de imediato e volta para infernizar a vida da gente nas ruas e nas estradas. Esse é o desabafo de alguém que já sofreu demais nas mãos desses marginais que fecham ruas e estradas. Infelizmente, não tenho outro termo para designar esse tipo de gente: marginal. Vamos fazer a reforma agrária, mas deixem esses marginais de fora.